PTT-RADIO
                                                  Rio de Janeiro, Brasil

     
by: PY1IB

InícioPágina de Entrada no Site
PTT-RADIO
ArtigosNovo Artigo Conhecendo as Baterias, arquivo em pdf com 27 páginas
BlogsAcesse a Área de Blogs DownloadFaça o Download de Programas e Questões de Provas EventosPróximos Encontros FotosFotos de Eventos & Galeria de Fotos GridSaiba o seu Grid Locator LabresPágina para Acesso a Todas as Labres do Brasil
----------------------------
Labre RJ - Av Treze de Maio, 13 20º andar sala 2013, Centro
Tel 2215-3027
LegislaçãoCódigos e Principais Leis, Normas e Resoluções Relativas ao Radioamadorismo LinksPrincipais Links Relacionados ao "Hobby" QSLÚltimos Cartões QSLs Recebidos pela Estação PY1IB QuantosQuantos Radioamadores Somos no Brasil e no Estado do Rio de Janeiro RepetidorasRelação das Repetidoras em Funcionamento no Estado do Rio de Janeiro SimuladoQuestões das Matérias da Prova de Acesso ao COER, Simulado Online WebmailTela de Acesso ao Webmail do PTT-RADIO/GMail AnatelAcesse o Site da ANATEL
---------------------------
Praça XV de Novembro, 20
9 e 10 andar - Centro
CEP 20010-010 Rio de Janeiro, RJ
Tel 21 2105-1850
Xavier 21 2105-1878
Novo tel para reclamações 1331
RenerAcesse o Site da RENER - Rede Nacional de Emergência de Radioamadores ContatoAs Colaborações são Bem-Vindas. Envie-nos um e-mail

 

DX - Leo Jensen PY1LJ

índice   1   2   3   4   próximo

Artigo escrito por Leo Jensen para a Feirinha Digital

II - DXpedition

O que é uma DXpedição?
O que é um Pile-Up?

DXpedições (DXpeditions) são expedições realizadas por Radioamador, ou Grupos de Radioamadores, com o objetivo de fazerem DX, geralmente em locais onde a atividade Radioamadorística é escassa (ou nula) e, também, em locais inóspitos (desertos ou florestas), de difícil acesso (rochedos, morros), pouco habitados (ilhas, estações polares de pesquisa, etc.) ou ainda considerados como "especiais". Essas expedições são raras e proporcionam oportunidades únicas para que se possa, em conseqüência, conectarem-se tais locais. Como as DXpedições são noticiadas com uma certa antecedência, cria-se uma expectativa muito grande em torno delas entre os DXistas. Quando, finalmente, elas entram em operação, formam-se os inevitáveis Pile-Ups.

Pile-up seria uma situação caracterizada por uma grande quantidade de Radioamadores, espalhados pelo Planeta, tentando estabelecer, numa determinada freqüência de Rádio e ao mesmo tempo, contato com uma única estação.
Os Pile-Ups não se formam só nas DXpedições.
Me recordo que em um certo dia, era novembro, e por volta das 13 horas (hora local), estava passando pelos 10 metros quando percebi um Pile-Up simplesmente irado. Um verdadeiro "saco-de-gatos" de tanta gente falando ao mesmo tempo, uns por cima dos outros, numa balbúrdia ensandecida com "espalhos" para cima e para baixo. Afinal quem seria aquela "figurinha" causadora de tanto rebuliço?

Como adoro um Pile-Up, iniciei a escuta com mais atenção tentando identificar a tal da estação. Conseguia escutá-la repetindo os indicativos com quem confirmava o contato, seguido do clássico "five by nine", sem declinar o seu próprio indicativo, tamanha era a confusão. Como não utilizo o "Cluster", comecei a me angustiar pois o tempo estava passando. A minha melhor condição de recepção era com a direcional (5 elementos, mono-banda) apontada para a Europa. De repente o operador "canta" HV...alguma coisa, terminando com "L"...."HV"?
Eu estava escutando o Vaticano irmmããããooo!!! Esta cidade-estado não aparece com muita freqüência não, prezado colega. Redirecionei melhor a Antenita e, com uns 110 watts mais ou menos, enviei um PY para ele. Sim. E daí? Ele me ouviu? Mesmo depois de umas 3 ou 4 tentativas?. Tás pensando que no meio daquela Zona toda a "estaçãozinha " do PY ia "chegar" lá na Terra Santa, humildezinha assim? É ruim hem!! Tá certo. Contra a evidência não existe argumento. Escutava HV com 4/4. Abaixei a potência do Rádio para uns 30 watinhos (era o suficiente para "excitar" o meu ex-NCL 2000), liguei a "chocolateira", deixei esquentar um pouco e, no momento certo, mandei um "kilinho" (não perecível) de presente. Aí a "estaçãozinha" cuspiu grosso, certo mano? Procede? Era o Stefano (HV5PUL) que -finalmente- recebia um sinal do Rio de Janeiro, nas Terras Papais. Ficou tão feliz que me enviou 2 QSL's.

Voltando às DXpedições. Em Março de 2005 teve uma bem próxima do Brasil, ou seja, a DXpedição F6KOP que operou na ILES DE SALUT (T07C), na Guiana Francesa. O Grupo era composto de 9 Radioamadores com indicativo da França (inclusive com uma "YL". Coisa rara.) e mais um da Áustria. Já em Maio, do mesmo ano, era a rapaziada do Teresina DX Group que fez uma DXpedição à Canárias Island (SA-072). O Grupo era composto de 6 Brasileiros que utilizaram o ZW8A e o ZW8DX. Bonito o cartão QSL. Valeu.

Termino este tópico incluindo uma questão para análise dos nobres colegas. Leiam e tirem suas conclusões. Se não:
Dia 30 de Dezembro de 2005, o André (PU1SGA), em QSO em 80 metros, comentava que tinha feito um DX, com toda esta porcaria de propagação que anda últimamente por aí, com uma estação em Denver, no Colorado (USA), em 10 metros, utilizando a sua Dipolo. Esta antena encontra-se no alto de um prédio (uns 14 andares, mais ou menos), no Bairro de Icaraí, em Niterói.
Tal comentário me fez lembrar que em Janeiro de 2004, com uma propagação não tão ruim, trabalhei, também, em 10 metros o Vince (KI4AOC), da Carolina do Sul (USA). Vince operava um velho transceptor da Radio Shack, modelo HTX-10 com 25 watts de pico e uma Antena Vertical Antron 99. Eu o escutei na Direcional (citada acima) com 4/6. Eu estava com uns 100 watts de saída e a Yagi virada para lá. Ele me passou 5/4. Pode?

O que vocês acham? Será que o Rádio dele era surdo?

73 à todos.

Leo Jensen

índice   1   2   3   4   próximo




Consulta Indicativo
Anatel
QRZ
HamCall

 
 

©  PY1IB  Rio de Janeiro - 2016